Paquistanesa na corrida à liderança da OMS

Saúde Global

Ponto Final –  A Organização Mundial da Saúde (OMS) designou a meio da semana, em Genebra, os três candidatos que em Maio vão tentar garantir o posto de director-geral desta agência das Nações Unidas. Entre os três finalistas está um candidato asiático.

Entre os cinco pré-candidatos ao cargo, os 34 membros do Conselho executivo da OMS, reunidos em Genebra, seleccionaram os médicos Tedros Adhanom Ghebreyesus, da Etiópia, David Nabarro, do Reino Unido e Sania Nishtar do Paquistão.

A escolha do futuro chefe da Organização Mundial de Saúde será decidida pelos 194 países membros no decurso da Assembleia mundial da Saúde em Maio, e assumirá as funções em 1 de Julho.

A eliminação do professor Douste-Blazy, 64 anos, quatro vezes ministro (duas vezes da Saúde, da Cultura e dos Negócios Estrangeiros) está a ser considerada um revés para as autoridades francesas, que apostavam na sua candidatura.

Dos três finalistas – dois…

View original post mais 290 palavras

O meu Nelson Mandela …

Courelas

Anton Kannenmeyer - O meu Nelson Mandela, capa.jpg

Anton Kannemeyer, o sulforoso sul-africano, um Átila da sátira cáustica subversiva, tanto que a erva deixa de medrar onde ele verrinou, tem mais um livro publicado em Portugal. A editora MMMNNNRRRG – que antes colocou o “Papá em África“, algo que deu algum brado no país, tendo também ganho o prémio de melhor álbum estrangeiro em 2015 – fez brotar 500 exemplares desta colectânea. E custa ver o quão pequeno é o número de potenciais compradores de um livro de um autor deste calibre, ainda para mais quando custa apenas 10 euros, grosso modo o mesmo de um pacote de  tabaco de enrolar: algo está podre no reino da leitura …

Se eu percebi bem – a informação dada pela editora no livro é minimalista (e isso até é bom, a gente quer é ler o autor) – trata-se de um volume de histórias publicadas na revista Bitterkomix

View original post mais 190 palavras

Áudio 141 – Escreve Eliana, Escreve, Por Eliana Nzualo

“Eu escrevo coisas. Quero ser uma escritora diversificada, trabalhando temas como feminismo, neo-colonialismo e política internacional, na forma de prosa e poesia.” É assim que Eliana Nzualo se apresenta no seu blogue Escreve Eliana, Escreve. Esta semana, falamos sobre inspiração e prática com Eliana a partir de Maputo!

Artigos mencionados na entrevista:

Titulo: Para entender o Feminismo em África

“Há um distanciamento ideológico dos africanos face ao Feminismo devido a uma falsa ideia de tradição e um desconhecimento da nossa História pré-colonial.

Sempre fico um pouco triste quando converso com pessoas e percebo o seu desconforto em falar de feminismo ou assumirem-se feministas (…)” Continuar a ler

Titulo: O que diria Lumumba sobre o EURO?

“Lumumba foi um dos fundadores do Movimento Nacional Congolês (MNC). Acreditava veemente na independência total e inalienável do Congo e na capacidade do povo congolês de gerir as suas infraestruturas, pessoas e sobretudo recursos. (…) Hoje…

View original post mais 48 palavras

Coral Infantil da Lusofonia: Primeiro ensaio a 27 de Janeiro

Centro InterculturaCidade

Pintura de Luísa Queirós, gentilmente cedida ao CIL. Todos os direitos reservados Pintura de Luísa Queirós, gentilmente cedida ao CIL. Todos os direitos reservados

Iniciam-se na próxima Sexta-Feira ( 27.01) às 18 horas no Centro InterCulturaCidade os ensaios do Coro Infantil da Lusofonia (CIL). Trata-se de uma parceria com a Companhia  UM + UM  Produções, que visa estimular,  através  da música coral e com base um repertório referenciado ao universo dos países de língua portuguesa, o desenvolvimento pessoal e social de crianças e jovens, promovendo  em simultâneo a sua autoestima e inclusão social. Os ensaios do CIL decorrerão todas as sextas-feiras entre as 18h e as 19h30  e estão abertos à participação de crianças e adolescentes dos 8 aos 14 anos. A direcção artística do projecto está a cargo da maestrina Sandra Luísa Martins.

Para mais informações e inscrições contacte:

Tel.: 926 461 569 | 963 155 552
E-mail: coroinfantil.lusofonia@gmail.com

View original post

PS, BE, PCP, CDS-PP: propostas de alteração do decreto

rede investigadores contra a precariedade científica

Foram publicadas as propostas apresentadas por PS, BE; PCP, CDS-PP, pela alteração do decreto no site da Assembleia da República.

Vamos publicar análises sobre as proposta – as vossas são bem vindas, claro (investigadores.rede@gmail.com).

Pelo momento podemos salientar que a proposta do PS amplia (art. 23.4) o numero dos bolseiro abrangidos pelas normas transitórias do decreto (de “três anos” a “três anos, seguidos ou interpolados”) e obriga (art. 6.4) as instituições à abertura “de procedimento concursal para categoria da carreira de investigação científica ou da carreira de docente do ensino superior […] seis meses antes do termo do prazo de seis anos referido no nº 2 do presente artigo” – o que configuraria uma espécie de tenure-track para quem fica na mesma instituição durante seis anos (apesar disso, permanece na proposta a estrutura “3 anos pagos pela FCT, 3 anos pagos pela instituição de acolhimento”, o que levanta óbvios problemas para…

View original post mais 8 palavras

Áudio 140 – Festival Musidanças Apresentado Por Firmino Pascoal

Festival Musidanças cumpre, em setembro de 2017, 17 anos. A sua missão  é dar a conhecer músicos de países em que se fala português. A entrevista de hoje é com Firmino Pascoal, músico, produtor e artista plástico de origem angolana e impulsionador do festival.
Atualmente a promoção do Festival Musidanças tem sido feita:
– semanalmente, através do Musidanças – Encontro da Lusofonia;
– mensalmente através do Musidanças – World Sessions

View original post

Saúde Mental e Economia Solidaria

O Brasil está delineando um percurso de iniciativas inovadoras no que se refere ao tema da inclusão social pelo trabalho por meio da economia solidária. No entanto, estudos têm mostrado que, apesar do caráter inovador dessas iniciativas, ainda existem dificuldades a serem superadas, principalmente relacionadas à consolidação dessas iniciativas e à emancipação social dos envolvidos.

via Saúde Mental e Economia Solidária: relato de uma experiência brasileira — Centro de estudos Sociais – Canal CES